Editorial (Edição 4)

aaaIMG_12asfdsg - Cópia

No Brasil, o descarte de alimentos é de uma grandeza que ultrapassa os 50% do total de resíduos gerados. Ou seja, o impacto é enorme e preocupante, mas, segundo uma visão mais otimista, isso significa que, resolvido esse problema, teremos avançado metade do caminho em busca do atendimento às demandas da PNRS – ainda que tal realidade continue muito distante. A matéria de capa traz diversas visões sobre o tema, apresentando soluções em escala doméstica ou industrial para o tratamento de resíduos orgânicos.

Nesta quarta edição, a ARes cede espaço a diferentes opiniões sobre o Acordo Setorial de Logística Reversa de Embalagens em Geral, cuja assinatura, ocorrida em novembro de 2015, gerou debates sobre os reais avanços proporcionados pelo acordo. A discussão sobre o tema mostra-se tão fundamental quanto o acompanhamento de outros acordos setoriais ainda não assinados.

Aproveitamos para compartilhar mais uma novidade que a ARes entrega aos seus leitores. Neste número, estreamos a seção “Mundo aberto”, em que publicamos reportagens de revistas de outros países, levando ao leitor um pouco do conhecimento sobre a gestão de resíduos em diferentes partes do mundo. A matéria “Aterro La Crosse County, Wisconsin, EUA: Mudando percepções públicas” foi gentilmente cedida pela revista Waste Advantage Magazine, que circula com quase 40 mil exemplares entre EUA e Canadá. Com essa leitura, fica para nós a reflexão sobre como poderemos remar contra a maré e avançar, de fato, na gestão de resíduos no Brasil, passados seis anos da PNRS.

Obrigado e até a próxima edição!

(Imagem: Artur Bordalo, artista português)